Untitled

Vamos fazer o bebê dormir?

 

É possível! Não existem bebês difíceis, existem formas melhores para garantir o sono do bebê (e da família toda)

 

Clique e Saiba mais sobre a Consultoria do Sono Bossa Mãe!

 


15 jan 2018

Um livro por mês

por
Gabi Miranda

Destaque, Livros

Quero propor um livro por mês, vem comigo?

Gosto de dizer que os livros nos fazem viajar sem sair do lugar. Parece clichê, mas é uma verdade. Livros ampliam nossos conhecimentos, aprendemos sobre o mundo e sobre nós. Livros nos salvam do tédio, nos salvam de nós mesmos. Não me lembro do primeiro livro que li na vida, acho que foi o Patinho Feio. Mas sei que o meu contato com os livros é desde a tenra infância. Sou da época em que pegava livros na biblioteca e já paguei muitas multas por ter devolvido o livro com atraso. Não porque eu não tinha terminado a leitura ainda, mas porque eu sempre tive dificuldade de desapegar de um após lê-lo. Ainda mais quando eu me apaixonava pela a história. Acho que hoje em dia ninguém mais pega livros em biblioteca…

Hoje os livros estão á mão. Na internet é possível encontrar PDF deles. Basta um clique. E com o surgimento do Kindle então… Taí uma tecnologia para qual não consigo me render. Comprei um numa Black Friday há uns três anos e não consegui me acostumar. Pra mim é impossível substituir um livro. Não tem a mesma graça. Livro tem cheiro, textura, dá para fazer anotações nele próprio. Livro tem vida. É para ser sentido.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

12 jan 2018

Divórcio – como ficam os filhos?

Divórcio. O fim de um casamento tipicamente desencadeia uma onda de emoções nos adultos, incluindo raiva, tristeza, ansiedade e medo. Como os filhos ficam diante do fim do relacionamento dos pais?

divórcio

divórcio

A experiência do divórcio, que já não é fácil para os adultos envolvidos, pode se tornar devastadora para as crianças. Principalmente, quando elas se tornam alvo das disputas e depositário das frustrações dos pais.

Muitos casais evitam se separar por causa dos filhos, mesmo com o relacionamento conjugal arruinado. Manter um casamento por causa dos filhos é um dos erros mais frequentes que acontecem. Uma separação amigável é infinitamente melhor para uma criança do que uma convivência desarmônica e conflituosa.

É essencial que as crianças sejam comunicadas sobre o que está acontecendo. Mas as explicações e a quantidade de informações devem ser adequadas à idade e à capacidade de compreensão da criança. Não se pode pensar que ela não sabe que está acontecendo algo diferente, ou que não entende. Pode ser que ela não compreenda efetivamente o que é um divórcio, mas ela sabe que as coisas mudaram. Ela percebe e sente, e por isso tem que ser comunicada.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

10 jan 2018

Febre Amarela – tudo o que você precisa saber

por
Gabi Miranda

Destaque, Filhos, Saúde

O assunto é sério. Segundo o Ministério da Saúde, entre dezembro de 2016 e agosto de 2017, 777 casos foram confirmados e 261 pessoas morreram em decorrência da febre amarela. Recentemente, um novo surto. Inclusive os animais do Horto Florestal são vítimas. Recebi a informações importantes sobre o tema do Hospital e Maternidade Santa Joana, e achei que valia a pena compartilhar. Confira abaixo.

febre amarela

Informações importantes sobre Febre amarela

Com profissionais atualizados com o que há de mais novo em vacinas para prevenir doenças infecciosas, o Centro de Imunização do Hospital e Maternidade Santa Joana é referência no meio. Por isso, para sanar possíveis dúvidas, a Dra. Rosana Richtmann, infectologista da instituição, responde aos principais questionamentos sobre a febre amarela:

Como a doença é transmitida?

Muito comum na América do Sul e Central, além de alguns países da África, a Febre Amarela é uma arbovirose, ou seja, uma doença causada por um vírus da família Flaviviridae, a mesma da Dengue e do Zika e transmitido por meio da picada de mosquitos em áreas urbanas ou silvestres.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

08 jan 2018

Passeios incríveis e gratuitos para fazer no Rio de Janeiro

por
Gabi Miranda

Destaque, Maternidade, Viagem

Amo o Rio de Janeiro. Amo tanto que eu digo que moraria lá fácil. É a cidade das minhas férias na infância. Todo mês de janeiro e julho, minha mãe mandava eu e minha irmã para a casa do meu pai. Claro que as férias preferidas eram no período do verão quando íamos muito às praias. Lembro que meu pai costumava nos levar muito na praia de Camboinhas, localizada em Niterói. Era mais longe, porém tinha um mar calmo, ótimo para brincarmos à vontade. Além dessa, íamos muito para o Leblon, Copacabana e Barra. Daí que amo praia! Sol! Verão!

Cresci, comecei a trabalhar fora e o Rio de Janeiro acabou virando projeto de Réveillon, Carnaval e feriados prolongados. Passei muitos Réveillons em Copacabana e muitos Carnavais na cidade maravilhosa na companhia de amigas. Comecei a namorar, casei, tive filhos e foi ficando cada vez mais difícil ir. Principalmente porque quando temos filhos dá aquela preguicinha de encarar uma viagem longa para passar 4 dias, voltar e começar a trabalhar no dia seguinte. Até cansa só de imaginar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

05 jan 2018

Resiliência: é possível aprender a ser resiliente?

por
Gabi Miranda

Coach de Vida, Colunas, Destaque

É possível aprender ou ensinar a ser resiliente?

resiliência

aprender a ser resiliente

Muito se fala da importância da resiliência na vida e no perfil dos executivos de hoje em dia. Rhandy di Stefano,  presidente do ICI – Integrated Coaching Institute e meu instrutor na formação de Executive and Life Coaching em 2014, disse que a resiliência é considerada a competência número 1 para se obter sucesso sustentável na carreira. Ele também disse que existem evidências e estudos que demonstram que os jovens da geração Y e Millenials tem baixa resiliência porque não estão acostumados a se frustrar. Mas como aprender a ser resiliente?

Tanto a primeira informação quanto a segunda me deixaram curiosa, mas confesso que a segunda mais. Para entender mais sobre o assunto fui pesquisar e encontrei vários artigos com abordagens complementares considerando, por exemplo, se a pessoa nasce resiliente ou se esta característica de comportamento pode ser adquirida. Também encontrei estudos com grupos de adolescentes considerando diferentes variáveis para medir o “grau” de resiliência, como: nível sócio econômico, ambiente familiar, traumas, abusos, doenças mentais, entre outros.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

04 jan 2018

12 dicas para um ano novo mais feliz

ano novo mais feliz

Janeiro é aquele mês em que colocamos em prática aquela lista de mudanças que acreditamos ser essenciais para um ano novo mais feliz. Há dois anos, eu pratico algumas ações e percebi mudanças significativas na minha vida. Como, por exemplo, me afastar de pessoas que não me fazem bem ou não confiáveis. Ou ainda não reclamar. Eu tinha mania de fazer reclamações por pequenas coisas até que um dia resolvi parar com isso. Passei a enxergar o lado positivo até das situações negativas. Não quer dizer que passei a ser uma Pollyanna, mas que tento aceitar o inaceitável com  mais clareza. Porque não faz bem pra gente e para nossa vida reclamar. A melhor coisa é tentar resolver.

Aí que para me ajudar ainda mais nisso e em outras questões, entrou para minha lista de metas 2018 a meditação. Essa prática é ótima para nos ajudar a solucionar os problemas e escolher a melhor forma de resolvê-los. E foi pensando em ajudar outras pessoas, que relacionei no meu último vídeo do ano no canal, 12 dicas para um ano novo mais feliz. Algumas que já venho praticando na minha vida durante esses dois últimos anos e outras que quero praticar mais, como o caso de ficar menos nas redes sociais.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

Página 1 de 165123456...Última